A lenda de Tanabata Matsuri

tanabata_fumira2_soft

Morava próximo à Via-Láctea a filha de um poderoso Deus do reino celestial, chamada Orihime, a Princesa Tecelã. Certo dia, diante de seu tear, viu passar um jovem e belo rapaz, Kengyu, que conduzia um boi. Instantaneamente, ela se apaixonou por ele.

Seu pai, o Senhor Celestial, consentiu com o casamento dos dois jovens. Porém, casados e totalmente dominados pela paixão, ambos se descuidaram de seus afazeres e obrigações.

Foi então que o pai, indignado com tamanha irresponsabilidade, ordenou que eles vivessem separados, um de cada lado da Via Láctea. A separação trouxe muito sofrimento e tristeza para Orihime.

Com pena de sua filha, o Senhor Celestial resolveu permitir que o casal se reencontrasse somente uma vez ao ano, no sétimo dia do sétimo mês (=Tanabata), contanto que cumprissem a ordem do pai de realizar os pedidos vindos da Terra.

A princesa, então, encarnou em diversas regiões da Terra e em muitas épocas diferentes, procurando atender todos os pedidos.

 

Tanabata e a Nossa História

Logo

Na região da grande São Paulo, em Cotia, Orihime tem atendido desejos muito especiais de crianças, que buscam objetos de madeira.

Como excelente artesã, ela trata com muito carinho e dedicação o pedido de cada criança, sempre depositando o toque de seu brilho em cada item que passa pelas suas mãos.

Deseja conhecer algumas coisas que ela já produziu? Acesse!

Ou fazer um pedido à Orihime:

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]

 

Nota: segundo a mitologia japonesa, Orihime é representada pela estrela Vega. O rapaz é representado pela estrela Altair, que fica do lado oposto da galáxia. Elas realmente só se encontram uma vez por ano.

Fonte: Wikipedia com nossas adaptações.